E daí que o mundo tá todo virado?

Tá tudo muito errado por aí. Os dias tem sido cada vez mais sombrios. A mentira tem resistido com tamanha força. Os sonhos de milhares tem virado pó. Muitas pessoas cansaram de esperar. Tá tudo louco, errado, incerto e cada vez mais difícil.

Quantas lágrimas será que caem por segundo no mundo? Quantas vezes por segundo se pensa no planeta: ‘como será que vai ser daqui pra frente?’. Quais os números? Qual a conta? Qual o saldo?

Quando era criança imaginava que quando fosse grande faria algo muito importante pelo mundo, mas o tempo passa muito rápido e a nossa percepção no presente é muito automática. Aos poucos a gente esquece de que criança era, de quais sonhos tinha e do que é ser adulto sendo adulto. Mas eu nunca me esqueço. Ainda lembro perfeitamente das coisas que imaginava, do que idealizava. Ainda lembro de quando uma professora riu quando viu minha frase em uma redação: “sei que não sou perfeita, mas acredito que posso chegar muito perto da perfeição…” (risos) assim com reticências, porque essa sempre foi a minha pontuação favorita.

Me lembro de questionar os velhos provérbios, como quando diziam que uma andorinha sozinha não faz verão, e eu criança pensava: “mas e se a andorinha infelizmente tiver que ser sozinha, porque não tem família ou porque foi abandonada, por isso, não vai ter verão?” (risos) Descobri que uma andorinha faz sim verão, dentro dessas condições.

E daí se o mundo tá todo torto? Se tudo parece errado? Se viver é mais pesado do que era antes? E daí se tá tudo mais louco que o normal? Vamos nos projetar em um bando ou vamos nos guiar pelas nossas esperanças e ações? A gente se esquece rápido de muitas coisas, principalmente, de quantas lutas duras já vencemos. A gente esquece.

O que me salva em muitos momentos é que me lembro, é que a menininha que fui um dia ainda mora dentro do meu coração, ela ainda me lembra do que acreditava, do que dizia, das coisas que faziam os professores rirem e balançarem a cabeça. O que me salva é a lembrança viva das minhas origens, é essa ponte que nunca foi quebrada com a minha infância.

E daí se tudo está uma bela droga hoje? E daí se você não é tão ‘altruísta’ assim como tantos hipócritas de plantão? Ao menos não está destruindo nada em cadeia. Ao menos está tentando, com esperança, reconstruir os próprios cacos antes de tentar consertar algo externo a ti.

O mundo tá muito louco. Tá realmente tudo desandando de maneira colossal, mas não nos assustemos, é tudo sim uma questão de perspectiva e precisamos repensar a nossa. Mudar o foco, seguir o caminho da contramão em muitos momentos, rever alguns pontos em nossa caminhada que nos coloque em trilhas melhores do que as habituais.

Tá tudo muito louco, mas ainda existem boas músicas, bons livros, bons amigos, animais especiais e a força da espiritualidade. Nossas lágrimas em muitos momentos estão caindo unidas a outras incontáveis, em cântaros, mas seguimos e, estranhamente, cada um, sozinho, está fazendo o próprio verão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: