Importância do NÃO que dizemos para nós mesmos

A gente por muito tempo acha que se permitir e viver tudo o que há para viver, como na música do Lulu Santos é como uma regra de vida. Aproveitar, fazer, ir fundo. Mas há algum tempo aprendi que dizer não a si às vezes é o ato amor e libertação mais valioso que se pode ter por si mesmo.

Quando a gente era muito pequeno, alguém incontáveis vezes nos disse NÃO! para que não nos machucássemos, para que aprendêssemos a cuidar de nossa própria integridade, para que seguíssemos ilesos.

Depois de adultos, ainda existem alguns raros amigos que nos dizem o NÃO, não tão sonoro quanto ouvíamos de nossos pais, avós, tios… mas ainda assim, esse não nem sempre é o suficiente. É importante saber até onde se pode ir.

Até que ponto a gente pode caminhar, sem se ferir, sem se machucar? Mas a complexidade está na realidade de que temos que caminhar e nos colocar em situação de vulnerabilidade em muitos momentos, o que vai gerar ferimentos, dores, chateação… Mas novamente a questão: até onde você pode ir? Vai te ferir mais? Vai te maltratar mais? Se a resposta for sim, então é hora de dizer Não! a si mesmo.

Esse Não! que a gente diz a si, mesmo contra a nossa própria vontade é o que nos leva à compreensão do sentido da liberdade. Eu posso todas as coisas, mas nem todas as coisas me convêm, isso é passagem bíblica que se pode levar para a vida, seja você religioso ou ateu.

Não! Você vai parar aqui! Não! É o que você quer, mas não é o que vai te fazer bem! Não! É hora de refletir sobre o que está fazendo. Essa é a negativa mais difícil, porque vai contra as nossas vontades, vai contra os nossos ímpetos.

Sempre alguém diz que é melhor se arrepender daquilo que se fez do que daquilo que não se fez, mas com o tempo, refletindo, acredito que nem é uma questão que pode ser tratada como arrependimento e que não fazer alguma coisa, se decidir por não, mesmo quando se quer muito, pode ser uma maneira muito mais amável consigo mesmo do que fazer as próprias vontades, sendo que muitas delas, podem levar ao abismo.

Mas não é só sobre dizer Não a si mesmo esse texto. É sobre se colocar em uma posição de autoridade sobre a própria vida, é sobre não agir à mercê da vontade de terceiros, é compreender de verdade o que é o tal do protagonismo.

A gente precisa usar a nossa consciência ao nosso favor, amadurecer o nosso poder de racionalidade, nos impondo em momentos cruciais que podem decidir caminhos na nossa vida. Dizer não a si é tão difícil quanto obedecer quando se era tão pequeno, porque ainda somos pequenos, mas agora não temos tanto tempo, para continuar, inclusive, cometendo as mesmas falhas.

Às vezes, a gente precisa pegar no próprio braço e negar as nossas vontades e impetuosidades. Não é tudo Sim! A vida é muito mais sobre os nãos que a gente aprende a dizer dentro de nós mesmos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: