Libertando-se do passado

Você é uma pessoa presa ao passado? E não se trata de um passado de dez, vinte anos atrás, mas pode ser um passado de semanas, de meses, de poucos anos.

Você constantemente se percebe pensando no passado, para reviver algo que ‘foi bom’ ou ‘muito ruim’? Este texto é para você.

Independentemente da sua religião ou se não tem uma religião, compartilho uma experiência pessoal. Como cristã, em minha última experiência na igreja, o pastor em determinado momento disse: o passado é ficção e o futuro também é ficção, por isso, foque no hoje.

Quando você revive algo do passado, partindo da ideia de que tenha sido uma ‘boa’ experiência’, você está inserindo novos elementos à lembrança, você está recriando, fantasiando a partir de algo que aconteceu, ou seja, você está vivendo uma ficção.

E da mesma maneira, quando você tenta imaginar o futuro, que é totalmente desconhecido, obviamente também está vivendo uma ficção e, além disso, está alimentando pensamentos ansiosos.

Eu vivo da escrita e uma coisa você pode ter certeza, tudo o que está aqui é fruto do que já vivi e por muito tempo eu vivia em abismos por conta do meu passado, de uma semana, de semanas, de meses, de anos… enfim, vivia nesse looping de fantasias.

Você não libera o passado, sendo assim, aquilo que é novo não consegue chegar até você. Tua jornada tem se resumido a ser um memorial de lembranças, quando poderia estar vivendo intensamente o seu presente e recebendo coisas novas em sua vida.

Se libertando de feridas do passado

Muitas vezes repetimos ou ouvimos a frase: o que aconteceu no passado, fica no passado, mas na verdade, o que aconteceu fica conosco.

Há acontecimentos que permanecem assombrando a mente por muitos anos, alguns deles, quando traumáticos, se alojam no subconsciente, mas afetam o comportamento e as relações sociais.

Na psicoterapia, há alguns importantes passos para lidar com as questões do passado, que são:

  • Falar sobre o que aconteceu;
  • Identificar como se sentiu no momento;
  • Entender como o passado te afetou no instante em que aquilo aconteceu e de que maneira ainda afeta a sua vida;
  • Desenvolver uma nova perspectiva sobre o passado do ponto de vista que você tem hoje.

Muitas pessoas demoram um tempo para conseguir expor o que causou transtornos e dores e a princípio começam a desabafar sobre aspectos superficiais de sua vida, antes de um mergulho em suas complexidades.

O trabalho de auto libertação anda na união do paciente e terapeuta no processo que não é simples, afinal, não se trata de um botão que se aperta ou de uma chave que se vira de uma hora para outra.

Passos para a libertação do passado

Aceitação

Quantas vezes você se imaginou diante da possibilidade de fazer algo de maneira diferente? Mas é preciso aceitar que o passado não pode ser transformado, mas as suas escolhas presentes, sim, e são elas que determinarão o seu futuro.

A aceitação envolve a libertação da auto culpa, que muitas vezes te impede de desfrutar do agora.

Aprendizado

Por mais clichê que pareça, a maioria dos incidentes do passado mostram o que não se deve repetir no presente. Um erro repetido não será mais um erro, mas sim, uma escolha.

Se você tem feito más escolhas é porque há um padrão comportamental que precisa ser quebrado e somente com ajuda terapêutica é possível fazer isso.

Perdão

Perdoar as pessoas que te fizeram mal pode ser um dos maiores obstáculos para a libertação do passado. Se é difícil se perdoar, imagina ter de perdoar terceiros.

Mas parta do seguinte pensamento: por mais que alguém tenha lhe ferido, pense que você também ao longo da sua vida feriu pessoas, consciente ou inconscientemente. Compreenda o perdão sob a perspectiva das falhas humanas.

Perdoar não significa que terá de conviver com quem um dia lhe feriu, mas que não há mais qualquer vínculo de dor entre aquela pessoa e você.

Foque no seu presente e faça boas escolhas para o futuro

O futuro, como já mencionado acima, é uma ficção, então entenda que as escolhas que você faz hoje serão responsáveis pelo seu futuro.

Quem você é? O que te motiva? O que te faz feliz? Quais são os seus sonhos e projetos?

Quando se vive muito no que passou ou se re(vive) muito o passado, a consequência costuma ser esquecer-se de si mesmo. Então resgate-se.

Não é um processo mágico

Talvez não baste você ter consciência de que sofrer com o passado não é saudável e impede que tenha paz. Em muitos casos, você precisará lutar contra a sua mente e contra o vício de pensar no que passou.

Será um exercício difícil e talvez você falhe durante o processo, mas da mesma forma quando tentava andar quando criança , caía e recomeçava, assim é o processo de cura para um comportamento. Se você cair, pode se levantar e recomeçar, mas a grande chave é sempre não desistir.

O que há de vir, virá…

Gostou do post? Compartilhe a sua opinião.

Gostou do texto? Acompanhe o nosso conteúdo nas redes sociais InstagramFacebook e Twitter! Aproveite para conhecer o livro Mulher Quebrada

Leia também:

Compreendendo mais sobre a ferida emocional da rejeição

Entenda sobre a imaturidade emocional que afeta tantas pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s