O Jogo

Às vezes no grande tabuleiro que é a vida, estagno. Estagnar é das coisas mais horríveis que alguém pode fazer consigo mesmo. Você não pode voltar atrás porque é contra a regra do jogo e também não pode pular muitas casas à frente, você precisa dar um passo de cada vez. Quando foi que eu … Continue lendo O Jogo

Sobre esse lance de ser mulher

Assumir a responsabilidade. Acredito que essa foi a principal percepção que tive há alguns anos e que foi levando tempo para ser incorporada à minha rotina e consciência, nessa transição para o ser mulher. E quando escrevo sobre ser mulher, estou literalmente trazendo a reflexão sobre o deixar de ser menina (o comportamento infantil) para … Continue lendo Sobre esse lance de ser mulher

Discurso da alta performance sufoca a existência humana

Você já se pegou se cobrando sobre produtividade? Já se sentiu culpado por simplesmente descansar? Eu já e muitas vezes. Nas duas raras vezes em que matei aula na escola, minhas amigas decidiram que nunca mais iam me chamar, porque eu me sentia culpada e pensava naquilo que poderia estar perdendo e isso não as … Continue lendo Discurso da alta performance sufoca a existência humana

A cada linha fina…

Antes de começar a trabalhar, achei que poderia ser legal compartilhar algumas coisas que têm acontecido comigo, a partir das minhas reflexões. Quando eu tinha 25 anos eu já pensava nos 30 que se aproximavam. Quando eu tinha por volta de 27 anos já procurava linhas de expressão no rosto e cheguei a fazer um … Continue lendo A cada linha fina…

Flor da Felicidade

Não temos mais estação certa. O sol arde no Sul às vezes mais tórrido do que no Norte. Não é fácil achar o caminho, há trilhas por toda parte por entre as estradas. Outro dia vi a luz irradiar janela afora e ficava comigo pensando na sombra do meu quarto. Como é difícil estar na … Continue lendo Flor da Felicidade

Nelson, não sou mais a mesma!

*Uma reflexão sobre uma crônica escrita em 2015 Continuo te admirando, sendo grata por um momento da minha vida em que sua escrita me deu muita coragem. Cheguei a me considerar mulher rodriguiana, veja só você! Alguém apenas guiada pelas próprias emoções, alguém guiada apenas por impulsos. Alguém até um bocado masoquista. Mas não sou … Continue lendo Nelson, não sou mais a mesma!

EU NUNCA VOU ME ADAPTAR

*Texto originalmente publicado em 2016, no Barasa Plutônica Na contramão sigo porque é o melhor caminho. Por que preciso pensar como querem que eu pense? Por que preciso me render ao que o gênero ao qual pertenço dita sobre o meu comportamento? Por que preciso me render a um gênero? Por que preciso me inspirar … Continue lendo EU NUNCA VOU ME ADAPTAR

Claridade

*Texto originalmente publicado no blog Barasa Plutônica em 2018 Os espelhos me perguntam: Quem é você? As letras me pedem: escreva como você escreve. Meus sonhos me pedem mais energia e crença. Minha vida pede para que eu não tenha medo de morrer. Minha respiração me pede mais inspiração e olhos fechados. Minha cor mais … Continue lendo Claridade

É preciso deixar a esperança guiar a alma

Texto originalmente publicado em Barasa Plutônica Será que basta a gente dizer que tem esperança? Será que basta dizer a si mesmo todos os dias, mesmo diante de adversidades que existe  esperança? Às vezes acho que ter esperança também é uma questão de estar atento aos sinais… De deixar os pequenos detalhes do cotidiano mostrarem … Continue lendo É preciso deixar a esperança guiar a alma

Não há nada de errado em ser plateia

originalmente publicado no blog Barasa Plutônica Todo mundo quer o seu famoso lugar ao sol, mas também é verdade que muita gente também queria ser o sol. Muita gente queria brilhar como as estrelas ou ser tão querida quanto uma bela lua cheia. Muita gente quer ser alvo dos holofotes, dos aplausos, dos assovios, do … Continue lendo Não há nada de errado em ser plateia