Além de toda merda…

Há dias tão merda, essa é a verdade. A gente lê e sabe que é importante ver o lado bom das coisas, a gente sabe... Mas quando a merda sobrevém, o que resta é só lidar, mais nada. Se você tiver o seu sol em touro, o seu conforto de alguma maneira estará na comida,... Continuar Lendo →

Quando o luto sobrevém

Faz algum tempo que vi o filme La Délicatesse (A delicadeza do amor) estrelado pela atriz francesa Audrey Tautou. Após três anos de luto do marido François, Nathalie conhece Markus em um momento de sua vida em que ela havia se esquecido de si e focado totalmente no trabalho. Foram três anos de memórias vívidas,... Continuar Lendo →

Marina Person

Esse texto poderia ter outros títulos, como Califórnia, filme dirigido pela Marina Person, mas em tudo que vi do filme, em todo diálogo, em cada música, em cada sorriso tímido da Estela, em cada minuto de filme, foi a Marina Person que vi, que ouvi, que relembrei. Das Vjs da MTV, a minha favorita era... Continuar Lendo →

Santa Leitura: Uma Biblioteca a Céu Aberto, de Belo Horizonte, MG

    Santa Leitura: Uma Biblioteca a Céu Aberto é um projeto idealizado por Estella Cruzmel e nasceu por uma necessidade da artista plástica, que desde 1997 trabalhava com moda, e ao montar a sua loja, decidiu se envolver com a leitura ao mesmo tempo em que oferecia um agrado aos clientes. Peguei uns 50 livros... Continuar Lendo →

Com toda a alma

Escolha, escolha, escolha... Poderia ter escolhido o caminho mais fácil, menos doloroso, o caminho com menos questionamentos, mas escolhi viver na busca por sentido, em fazer dessa vida, que é um privilégio, algo grandioso. E claro, que seja grandioso aos meus olhos, que tenha sentido para a minha alma. Sem certezas, que meus sentidos me... Continuar Lendo →

Mais do que uma mulher

Tenho refletido cada vez mais sobre a singularidade do ser humano, sobre o toque único, sobre o que torna um humano insubstituível. Talvez você não se lembre tão bem de Stephanie Mangano, personagem interpretada pela atriz Karen Lynn Gorney em Os Embalos de Sábado à Noite. Mas eu te trago hoje uma boa razão para se... Continuar Lendo →

Quando você entende a pegada do Reggae

Talvez esse nem seja um dos seus ritmos favoritos, como não era o meu... Mas acredite, se chegar um dia e você ouvir um Reggae, e entender que a cadência de ritmo 'repetitivo' entrou no entendimento, então, meu amigo (a), você está no vale da sombra da morte. Sabe que vale é esse? É quando... Continuar Lendo →

Álvaro com cor

❤ ❤

Barasa Plutônica

kid-and-dog-shutterstock_284223179

Álvaro com seus quatro anos de idade e com um universo tão gigantesco em uma imaginação às vezes tão assustadora pensa sobre o que ouve, sobre as palavras que são soltas em sua mente.

Com suas tintas, lápis de cor, giz de cera, ele tenta todos os dias reproduzir uma imagem que lhe traga uma sensação, mas que sensação seria essa? Que sensação, afinal, ele tanto buscava em suas pinturas?

As cores eram a sua obsessão, vê-las juntas era como se deparar com o oceano e debaixo d’água não saber ao certo para onde olhar.

Quando ele via aquelas cores juntas, lhe surgia um sentimento inexplicável, ele não sabia se sentia raiva, alegria, tristeza ou vontade de se esquivar. Bisteca, sua companheira vira-lata, sempre ouvia um resmungo ou outro em voz infantil  — Nã…. Não é isso!

Sempre que ele saía do banho, sua mãe lhe olhava com um brilho…

Ver o post original 1.756 mais palavras

Nós não somos classificáveis! Não mesmo

Gostaria de começar esse texto falando sobre a busca por ser quem é, mas considerando sempre melhorias, até que se chegue a um ponto, que mesmo após enxergar-se com as imperfeições humanas inerentes, consiga afirmar dentro de si: esse (a) aqui sou eu! Que se chegue a um ponto em que agradar o outro ou... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: