Quando o luto sobrevém

Faz algum tempo que vi o filme La Délicatesse (A delicadeza do amor) estrelado pela atriz francesa Audrey Tautou. Após três anos de luto do marido François, Nathalie conhece Markus em um momento de sua vida em que ela havia se esquecido de si e focado totalmente no trabalho.

Foram três anos de memórias vívidas, de ferida aberta, de muita dor, lágrimas e solidão, até que a cor de um novo amor bate às portas da alma de Nathalie. É muito difícil pensar na finitude de seres que amamos tanto, que um dia não estarão mais conosco, em presença física.

Essa convivência com as lembranças, essa aceitação da dor e a compreensão de que algum dia, que não se sabe como, as coisas vão se tornar mais suaves, de que será possível sorrir ao lembrar, de que as lágrimas darão lugar a sorrisos, a lembranças que despertarão cores na alma.

A desesperança dói e talvez seja a razão do profundo sofrimento, porque a morte é um ponto final grosseiro de uma vida que se está acostumado a conviver em vida, não se imagina que depois de um final, pode haver recomeço.

A cena que mais me emocionou no filme foi da Nathalie em uma festa ao som da música de Émilie Simon (Franky’s Princess):

Franky!
I’m not scared
I know that you’re gone
but I’m still here

E nesse momento, Nathalie dança com toda a alma, com todas as lembranças, mas agora, ela entende que precisa viver com tudo aquilo que ficou daquele amor com François em sua alma.

Escrevo com uma dor que não é minha e sei que é preciso deixar isso registrado aqui.

Um dia, depois de todas as lágrimas, das infindáveis voltas na lembrança, depois de todo o esforço para que nada se apague, a alma te dirá estrondosamente que nada se apagará, e sabe por quê? Por que sentimentos são, além de toda a razão, além da vida, para toda a eternidade.

O luto é inevitável, é difícil, é dolorido, mas de um jeito que não se explica, tem um tempo. O amor é a única razão de se existir e ele filtra a dor, de maneira que o que fica na alma é um quê de eterno, de intocado, de singular. A alma vai te dizer quando for o tempo de ressuscitar da dor.